sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Anatomia de um incêndio - Primeira Parte

Muitas pessoas que começam a escrever um blog, repentinamente param de escrever, alguns nunca mais escrevem, desistem, por um motivo ou por outro; outros voltam a escrever meses depois, sempre se desculpando, alegando motivos particulares ou coisa parecida.
Eu também fiquei muitos meses sem escrever; mal tinha oportunidade para ver os comentários e publicá-los, e eu também tive um problema particular que me impediu de escrever:
Minha casa pegou fogo!
Sim, é isso aí, minha casa incendiou.
Acho que esse foi um bom motivo para parar de escrever durante quase 6 meses.
Nas próximas postagens (se eu conseguir) tentarei relatar a anatomia de um incêndio, o incêndio da minha casa, o lar, meu e da minha esposa.
Antes farei uma pequena explanação de em que pé estava a nossa vida antes do acontecido:
Tínhamos a alguns anos uma vida financeira confortável e nos últimos anos decaímos muito, basta dizer isso: A vida financeiramente falando estava muito difícil.
Conseguimos algum dinheiro e compramos um pequenino restaurante; desses que vendem mais quentinhas que refeições a mesa. Foi no final de Abril.
Foi um fracasso retumbante!
O restaurante vendia tão pouco que mal dava para pagar a conta de luz!
As coisas estavam tão mal que eu propus a minha esposa que ela lutasse no restaurante com nossa filha mais velha e eu procurasse outros caminhos.
Havia um botequim horroroso (pé sujo, cospe grosso) que sempre estava fechado a tarde e a noite a cerca de 2 km de distância do nosso restaurante, mas o "ponto" era melhor, próximo a vários comércios em uma rua de grande movimento de pedestres e carros.
Eu consegui falar com a proprietária (do fundo de comércio, não do prédio) e propus a ela arrendar o horário de 15h até o último cliente, visto que ela vendia refeições das 9 ás 15h.
Ela aceitou e assim começou a façanha de trabalhar na parte da manhã no restaurante da família e depois ir para o "cospe grosso".
Passado alguns dias minha esposa me pediu para que eu só ficasse no "cospe grosso", pois eu estava ficando muito cansado.
O "pé sujo" era isso mesmo, sujo, escuro, fedido era frequentado por pessoas "feias", chatas, clientes da pior qualidade, chatos, "cri-cris".
Porém como eu disse anteriormente o "ponto" era bom e eu resolvi apostar. Sempre eu poderia vender alguma coisa e levar algum dinheiro para casa.
Mais um fracasso.
Era um verdadeiro inferno.
Vendia muito pouco.
Eu e minha esposa enguiçávamos o carro de gasolina várias vezes por semana.
Muitas e muitas vezes não tínhamos dinheiro para repor a mercadoria; várias vezes eu precisava esperar vender uma cerveja para correr a padaria ao lado para comer um pão com manteiga ou com mortadela. Que fome!
Aos domingos a proprietária não abria para almoço, então eu e minha esposa tivemos a idéia de servir feijoada todos os domingos, visto que o outro restaurante não abria.
E assim foi, chegou a Copa do Mundo, a maioria dos jogos do Brasil era pela manhã, então eu chegava bem cedo para tentar vender umas cervejas durante os jogos (com a permissão da proprietária). Não vendia nada, ou quase nada.
Acabou a Copa do Mundo, graças a Deus e veio o primeiro fim-de-semana pós Copa e é claro a nossa feijoada.
11 de Julho de 2010, a proprietária do bar havia brigado com o marido e resolveu dar as caras para beber uma cervejas e afogar as mágoas, mais uma ou outra pessoa bebendo ou comendo a bendita feijoada, minha mulher, nos fundos, na cozinha as voltas com paios, chispes e ratos. Eu na frente do bar, na calçada conversava algo com a proprietária; de repente, do nada, sem mais nem menos surgiu uma mulher que eu nunca tinha visto; do nada ela apareceu e tocou no meu ombro e disse:
- O sr. mora no condomínio tal?
- Eu disse sim (com um sorriso).
- O sr. é o dono daquela casa no alto da montanha, cor-de-rosa?
Respondi:
- Sim!
- Então corre para lá que sua casa está pegando fogo.
Eu confesso que não lembro se eu disse algo a ela, só lembro que gritei chamando a minha mulher.
Ela não gostou pois eu gritei muito alto.
- O que foi?
- Vem pra cá que a nossa casa parece que está pegando fogo (aos berros).
Ela demorou para "se ligar" e quando ela chegou a porta do bar eu já estava dentro do carro fazendo a manobra para ir para casa...

CONTINUA...

quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Anatomia de um incêndio - Segunda Parte

Continuação de Anatomia de um incêndio Primeira Parte

Então, como eu ia dizendo, antes mesmo da minha mulher chegar a porta do bar, eu já estava fazendo a manobra para ir para casa ver se a estava realmente pegando fogo.
Fiz um contorno em uma rótula, e fui em sentido contrário da pista onde fica o bar em que estávamos trabalhando.
A casa fica ao lado direito de quem está dirigindo, no alto de uma montanha, a cerca de 1 Km de distância, por isso minha primeira providência foi olhar para o alto a minha direita e procurar algum sinal de incêndio: Fumaça, fogo etc... Não vi nada, pensei: Deve ser um mal entendido, pode ser em uma outra casa ou ainda a tal mulher que me deu a notícia era maluca.
Então ocorreu um fato extraordinário (eu chamo este fato de experiência espiritual).
Apareceu ao meu lado, sentado no banco do carona do carro uma "entidade", astral, espiritual, angelical, isso fica por conta de cada leitor.
Minha definição: Anjo da Guarda.
Não posso em absoluto afirmar que era um Anjo da Guarda, como aliás não posso afirmar quase nada a não ser que eu vi!
Ele era forte, porém não era musculoso, tinha o peito e dorso desnudo, seu corpo era ligeiramente peludo e usava algo como uma saia de pele de animal (do tipo que ainda guarda os pelos do animal a que pertenceu) não olhou para mim, seu olhar se dirigiu o tempo todo a frente.
E ele disse repetidas vezes:
Não se preocupe que eu vou te proteger!
Não se preocupe que eu vou te proteger!
Não se preocupe que eu vou te proteger!
Repetiu várias vezes, e desapareceu da mesma maneira como surgiu.
A experiência desta visão foi tão vívida tão realista que por alguns momentos eu esqueci do até então "suposto" incêndio da minha casa.
Voltei a procurar por sinal de fumaça.
Logo cheguei a pequena rua que dá acesso ao condomínio, e ainda nada de fogo.
Cheguei a portaria e vários metros antes os porteiros abriram a cancela para que eu não me detivesse; achei isso um péssimo sinal, mas mantendo o otimismo ainda acreditava que tudo não passaria de um grande susto ou uma possível brincadeira de mal-gosto.
Continuei subindo a montanha sem sinal algum.
Aí veio a última curva e BAM! Lá estava a multidão de vizinhos e curiosos junto a vários carros do Corpo de Bombeiros.
Vi os carros (e caminhões) dos Bombeiros, mas não vi nenhum soldado, parei o carro, abri a porta e saí correndo tentando subir a rampa que leva até a garagem.
Neste momento tudo ocorreu como nos filmes de Hollywood; 3 soldados me agarraram me impedindo de prosseguir gritando:
- O sr. não pode subir existe risco de desabamento!
Eu me detive e desci junto com eles a rampa.
Me posicionei de tal maneira que pudesse ver o que estava acontecendo e começaram a cair escombros do último andar.
Só faltou eu me ajoelhar e gritar: Por que! Por que! ou então gritar Nãooooo! Como as cenas estereotipadas dos filmes.
Começaram a vir os vizinhos:
Uns chorando me abraçaram.
Outros se justificaram que não puderam fazer nada.
Outros dizendo a célebre frase que em geral não quer dizer nada: Se precisar de alguma coisa é só falar.
Neste momento surgiu a primeira informação relevante; nosso cachorro segundo a vizinha da direita estava bem, e ela havia jogado alguma comida para ele ir para longe do perigo.
Perguntei a um sargento:
- Já sabem qual a causa do incêndio?
CONTINUA...

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Anatomia de um incêndio - Terceira Parte

Esta é a terceira parte de Anatomia de um Incêndio.

Então, como eu ia dizendo na segunda parte de Anatomia de um Incêndio, eu perguntei ao sargento do Corpo de Bombeiros que estava posicionado ao meu lado:

- Já sabem qual a causa do incêndio?
Ele respondeu:

O sr. ou a sua esposa são "espiritualistas"?
Eu respondi:

- Minha esposa é.

- Parece que o fogo começou em um altar no último andar.

- Putz! (não foi bem isso que eu disse)

Eu continuei:

- E agora?

- O Tenente está lá na casa, e quando ele descer ele vai orientar o sr.
Lembrei que durante todo esse tempo desde que eu cheguei ao local do incêndio eu não havia derramado uma lágrima.

Nisso um outro Bombeiro me perguntou:

- O sr. está bem? Está se sentindo bem?

Eu respondi:

- Bom amigo, minha casa está pegando fogo, como o sr. acha que eu estou me sentindo?
- O sr. tem o direito a uma ambulância e a atendimento médico nestes casos.
- Estou bem. Respondi.
Os escombros pararam de cair, o fogo quase não era visível, só restava muita fumaça.

Mais alguns momentos e desceu o Tenente do Corpo de Bombeiros.
Um dos soldados nos apresentou, ele perguntou:
- O sr. fuma?

Pensei de imediato que a pergunta tinha algo a ver com o incêndio, até que ele puxou um cigarro do bolso do uniforme. Então respondi:
- Fumo.
- Então vamos sentar alí (na calçada da alameda)e fumar um cigarro.
Sentamos e ele começou:
- Sua casa não está de todo perdida; aliás sobrou muita coisa, nem, será necessário interditar a casa.
E o Tenente continuou:
- O sr. está se sentindo bem?
- Sim.
- Gostaria de subir e ver a situação?
- Sim, eu gostaria.
- Vou providenciar um capacete para o sr.
- Ok.
Capacete do Corpo de Bombeiros na Cabeça e lá fomos nós subindo a rampa de acesso a garagem.

CONTINUA...

Anatomia de um incêndio - Quarta Parte

Esta é a quarta parte do post Anatomia de um Incêndio.
Então, como eu ia dizendo no final da terceira parte de Anatomia de um Incêndio, coloquei o capacete do Corpo de Bombeiros e junto com o Tenente, iniciei a subida da rampa que leva a garagem da casa, a garagem nada sofreu, começamos então a subida da escada a direita que dá acesso a casa; logo percebi os primeiros sinais da destruição causada pelo incêndio, nos degraus da escada e no jardim do lado direito de quem sobe, (o lado esquerdo dá para o telhado da garagem), comecei a ver livros parcialmente queimados, cadernos manuscritos (provavelmente da nossa filha mais nova) e alguns papéis ao mesmo tempo queimados e molhados pela água do Corpo de Bombeiros.
E assim fui seguindo, logo tivemos que nos desviar de caibros ainda em brasa; telhas, muitas telhas espatifadas no chão. Viramos a esquerda para entrar pelo portão de madeira que dá acesso a entrada principal da casa (sala) antes uma mesinha de ferro com tampo de vidro, tombada junto com sua cadeira igualmente tombada; milagrosamente o tampo de vidro não se quebrou.
Passamos pelo portão, e na varanda panorâmica muitas telhas, caibros e tijolos quebrados, um pedaço de calha de bronze por onde escorria parte da água do telhado estava no chão a calha de bronze toda retorcida, subimos mais 3 degraus e o Tenente começou a falar:

- Tivemos que arrombar a porta principal para ter acesso a casa, mas acho que será possível consertar.

Entramos enfim na casa (na sala principal), tinha mais ou menos dois dedos de água no chão, muita fumaça e um cheiro indescritível de "incêndio" é um cheiro diferente de uma fogueira, ou de qualquer outra coisa que tenha queimado e que produza cheiro. Só quem é Bombeiro ou adentrou a um incêndio recém apagado pode descrever.
Subimos mais um degrau e viramos a esquerda para seguir para a escada que dá acesso ao segundo andar da casa; reparei que o interruptor automático das luzes da escada (tipo detector de presença) estava no lugar, mas parecia um chafariz, saindo água em um jato forte de uns 10 cm.
Ao subir a escada o cheiro aumentou, as paredes cheias de manchas de carvão algumas se podia notar terem o formato das mãos (com luvas) dos Bombeiros; descendo os degraus água, muita água.
Fomos direto ao sótão.
O sótão era onde ficava toda a instalação hidráulica da casa: Caixa d'água, todos os canos de entrada e saída de água para na caixa, o boiler, bomba hidráulica do boiler, no telhado do sotão as placas do aquecimento solar da água, antena parabólica, antena da TV por Assinatura, todas as principais caixas de passagens da rede elétrica ou seja fios e mais fios, cabos e mais cabos, cabos de antena, cabos de rede (computadores), cabos das câmaras de segurança etc...
Eu e minha esposa havíamos transformado uma boa parte do sótão em um pequeno apartamento, para nossas netas, portanto lá havia cama, armário de roupas, armário de brinquedos das netas, arquivos de documentos empresariais, armário de lembranças de família: fotos antigas das filhas fotos das netas quando eram bebês, muitos documentos que quase não se usam (certidões de nascimentos por exemplo), computador, uma bancada de serviços de confecção de bijouterias da minha esposa e o tal altar espiritual da minha esposa.
Tudo, absolutamente tudo foi destruído: das telhas a caixa d'água, do circulador de ar ao boiler; menos uma coisa, sim, houve uma coisa que nem ao menos chamuscou: O Altar Espiritual da minha mulher; queimou em baixo, queimou acima, queimou dos lados, mas o altar foi a única coisa intacta; ou seja o incêndio não começou ali!
Comentei ao Tenente:

- O Sargento lá em baixo insinuou que o incêndio teria começado no altar da minha esposa...

Ele respondeu:

- De forma alguma! Isso seria impossível! Visto que o altar está incólume.

Perguntei:

- Então como começou? O que causou o incêndio?

- Em minha opinião e da minha equipe, começou ali naquele nicho de fios retorcidos. (apontando para um canto).

Me lembrei que de fato ali haviam muitos fios passando, a maioria eu não fazia a menor idéia de para que serviam.

- A propósito (perguntou o Tenente) o sr. tem seguro?

- Não, não tenho.

- Então não haverá necessidade de laudo oficial.

- Eu não sei Tenente, nunca passei por isso antes.

- Nestes casos não há necessidade de perícia.

Havia de 1/2 metro a 1 metro e 1/2 de escombros. Caminhávamos (se é que se pode chamar isso de caminhada) com muita dificuldade, muita fumaça e alguns pequenos focos de fogo e com certeza muita brasa.

O Tenente falou que a laje ainda poderia ser recuperada com muita dificuldade, disse que haviam milhões de fissuras microscópicas que fariam a laje vazar água para o andar logo abaixo.

Descemos para o segundo andar da casa.

No caminho há uma porta que dá acesso a um alpendre (uma pequena varandinha toda de madeira). E o Tenente disse:

- Tivemos que arrombar esta porta também, para entrar com uma das mangueiras

Entramos no quarto que outrora pertencia a nossa filha mais nova (não morava mais conosco quando do incêndio), novamente água, muita água, no chão, nas paredes, e no teto em forma de goteira. Novamente percebi que as tomadas e interruptores, (assim como os lustres) pareciam chafarizes. Pouquíssimas coisas foram afetadas pelo fogo, mas a fumaça e a água do corpo de bombeiros fizeram um estrago considerável nos cômodos do segundo andar.
Descemos para o primeiro andar, a cozinha estava inundada, a sala de jantar estava com muita fuligem na paredes.

Pedi licença ao Tenente e fui ver o nosso cachorro (um cão da raça Akita ou Grande Cão Japonês). Ele estava muito assustado, abanou levemente o rabo e ficou deitado onde estava; fiz um carinho nele e voltei para o Tenente.

Os outros Bombeiros começaram descer.

Fomos para a varanda panorâmica e olhei para cima e vi que muitos tijolos, telhas e vigas de sustentação do telhado estavam perigosamente prestes a desabar; comentei com o Tenente e ele concordou, deu ordem para um subalterno para acabar de destruir o que estava muito perigoso.

O Soldado meteu a picareta em alguns conjuntos de tijolos e logo depois em uma viga que estava por um fio para cair. A viga caiu uns dez metros e foi certeiramente parar em uma tampa de bueiro de ferro fundido que se partiu em pedaços. Imagine se essa viga caísse numa pessoa desavisada que adentrasse a casa?
O último bombeiro desceu.
Começamos (eu, o Tenente e um Soldado) a tentar trancar as portas arrombadas.
Neste momento, meu telefone celular tocou; era a minha mulher:
- Então? Ainda tenho casa?
- Depois falamos meu amor.
- Só me diga, eu ainda tenho casa?
- Meu amor, não dá para falar agora, logo logo estarei aí com você.
Desligamos.
Demos um jeitinho nas portas, e começamos a descer a escada de acesso a garagem.
CONTINUA...

Anatomia de um incêndio - Quinta Parte

Esta é a quinta parte da série: Anatomia de um Incêndio.

Então como eu estava contando no final da quarta parte de Anatomia de um Incêndio, eu e o Tenente começamos a descer a escada que nos levaria de volta a alameda do condomínio em frente a nossa casa.
Chegamos a rua e a multidão de vizinhos e curiosos ainda estava lá, porém acrescida de mais alguns componentes. Uma viatura da PM estava nos esperando, ou melhor dizendo Me Esperando.
Mal coloquei os pés fora de casa e fui cercado por dois Policiais, um deles falou:

- O sr. é o dono da casa?

- Sim.

- Qual o seu nome?

- Respondi.

- Não, eu quero o seu nome completo.

- Respondi.

- Onde o sr. estava na hora do incêndio?

- Estava trabalhando.

- Onde?

Mais ou menos neste momento o Tenente do Corpo de Bombeiros interviu:

- O que os srs. estão fazendo aqui? Quem chamou vocês?

Os PM's não reponderam, mas (olhando para mim) disseram:

- O sr. terá que responder a algumas perguntas.

E continuou:

- Quero sua identidade e o seu CPF.

Eu respondi:

- Não está comigo, serve os números? Eu dei de cabeça.

Aí o Tenente do Corpo de Bombeiros se irritou:

- O sr. não tem que responder a pergunta alguma; a presença da Polícia Militar aqui nestas circunstâncias é completamente irregular.

O Tenente tomou as rédeas da situação e se dirigiu aos PM's com firmeza:

- O incêndio aqui não foi criminoso e o imóvel não possui seguro portanto a presença dos srs. é dispensável.

Os PM's ainda esboçaram algum movimento, mas o Tenente apontou para o seu próprio ombro (como que mostrando suas divisas de Tenente) e disse:

- A autoridade máxima aqui nesta ocorrência é do Corpo de Bombeiros e não da PM. (o PM mais graduado era um cabo).

Os PM's deram as costas e foram embora.
O Tenente acompanhou com os olhos os PM's até eles entrarem na viatura; foram embora.

Eu agradeci ao Tenente.

- Tenente, disse eu, nunca poderei agradecer sua atitude.

Ele não disse nada.

Em seguida chegou uma mulher que se apresentou como síndica do condomínio, acompanhada de um homem que esticou a mão para mim, eu retribuí, ele fez menção em me abraçar, não sei porque eu sutilmente me esquivei. Estendi a mão para a síndica (eu não a conhecia pessoalmente) ela não retribuiu, fiquei por alguns instantes com a mão estendida como um bobo.

A síndica se dirigiu ao Tenente do Corpo de Bombeiros e indagou:

- Eu sou a responsável pelo condomínio e gostaria de saber dos perigos e das implicações deste incêndio. Existe o risco de desabar e afetar outras casas?

Neste momento é que eu me lembrei que devíamos meses e meses de condomínio. E neste momento tive a exata dimensão da mesquinhez de alguns seres humanos, ela não olhou para mim, não me dirigiu a palavra e nem ao menos perguntou se eu estava bem.

O Tenente respondeu as perguntas da síndica:

- Não sra. o incêndio já foi debelado, não existe risco para ninguém, porém a sra. como responsável pelo condomínio terá que me acompanhar mais tarde para prestar esclarecimentos sobre questões de segurança do condomínio. Este condomínio está completamente irregular: Não tem brigada de incêndio, os funcionários não tem treinamento para essas eventualidades, não tem hidrantes ou extintores de incêndio ao longo das alamedas, enfim está tudo errado aqui.
O Tenente chamou um subalterno e mandou que ele anotasse o nome e o número da casa da síndica.

A mulher ficou branca, naquele momento eu tive a nítida impressão que ela estava muito mais nervosa que eu. Ela, como se diz, "perdeu completamente o rebolado".

Assim que a sindica se afastou, eu me dirigi ao Tenente e disse:

- Olha Tenente eu só tenho uma coisa e lhe dizer; muito obrigado!

O Tenente nada disse.

Perguntei a ele:

- E agora? O que eu faço?

Ele respondeu:

Aqui já está quase terminado, só vamos acabar de recolher o nosso equipamento e vamos embora, se o sr. quiser ir para conversar com sua esposa, pode ir; só quero conversar particularmente um minutinho com o sr.

Ele me levou para fora do alcance das vistas dos curiosos e disse:

- Olha sr. eu não tenho necessidade de interditar a sua casa; mas eu quero a sua palavra de honra que por no mínimo 15 dias o sr não vai mexer na casa; não quero o sr. aqui tentando reconstruir a casa nem mesmo retirando os escombros.

Eu disse:

- Ok, sem problemas, mas por que?

Ele respondeu:

- O seu relógio de luz foi desligado por nós, toda a instalação elétrica da casa foi comprometida pela água que usamos para apagar o fogo; eu preciso de pelo menos 15 dias para toda esta água descer pela força da gravidade para que o sr. chame um eletricista para começar os trabalhos de reconstrução da sua casa.

Eu disse:

- Tenente; o sr. tem a minha palavra de honra que antes de 20 dias eu não voltarei aqui senão para pegar objetos pessoais e roupas.

Ele retrucou:

Espero poder confiar no sr.

Eu disse que ele podia confiar em mim.

Apertei a mão dele, ele me deu um abraço, que eu retribui emocionado e fui em direção ao meu carro.

Entrei no carro, fechei a porta, liguei o motor, parei por alguns segundos; desliguei o motor, abri a porta e desci do carro. De algum modo o Tenente percebeu e veio em minha direção. Fui até ele e perguntei:

- Tenente, na sua experiência, como se diz para a esposa que a casa dela pegou fogo?

Ele respondeu:

- Não sei, eu assim como o sr. nunca passei por isso; mas se o sr. quiser um conselho eu acho que o sr. deve dizer a verdade sem esconder nada.

Assim, depois de apertar a mão mais uma vez de um dos homens mais honrados, que conheci em toda a minha vida, deixei o local do incêndio e fui me encontrar com a minha esposa.

CONTINUA...

Anatomia de um incêndio - Sexta parte

Esta é a sexta parte da história Anatomia de um Incêndio.
Como eu estava contando na quinta parte da Anatomia de um Incêndio; eu fui me encontrar com a minha esposa.
Sabe quando você está indo para algum lugar, mas tem uma vontade enorme de nunca chegar?
Era assim que eu me sentia, verdadeiramente eu queria que aquele trajeto de menos de 2.000 mil metros nunca acabasse. Mas acabou.
Eu enfim teria que encarar a minha mulher, a mulher da minha vida, a minha esposa e falar a verdade.
Quando estacionei ela estava posicionada a frente da única vaga disponível a frente do barzinho "cospe grosso" que tomávamos conta. Antes de eu descer do carro notei (não sei se era verdade) lágrimas em seus olhos; ela estava com as duas mãos juntas em uma posição parecida com aquela que pretende rezar.
Eu desci do carro, fui em direção a ela e a abracei, a beijei na boca, sem sensualidade, mas com muita amizade, cumpliscidade, amor. Parei de beijar, e falei no seu ouvido:

- Temos que ser fortes! Muito mais fortes que já tivemos que ser.

- Foi grave?

- Foi. Perdemos todo o último andar, toda a instalação elétrica, toda a instalação hidráulica, o telhado e a água do Corpo de Bombeiros fez muito estrago.

Continuei:

- Avise a sua mãe que vamos ter que dormir lá hoje.

- Já avisei, minha irmã está vindo aqui para nos ajudar.

Falei para ela não subir no último andar e não entrar pela porta da frente pois ainda havia risco de desabamento de escombros. Então, alguns que estavam no bar se aproximaram (aqueles que estavam desde quando eu recebi a notícia do incêndio); e começou; como foi? Perdeu tudo? Foi incêndio mesmo? Onde começou?
Respondi da melhor maneira possível e voltei a trabalhar enquanto esperávamos a minha cunhada, para levar minha mulher a casa e pegar objetos pessoais.
Ela chegou, na verdade meu sogro dirigia o carro e minha cunhada estava no banco do carona, insisti com ambos para que não subissem ao último andar e muito menos que deixassem minha mulher subir ao local específico do incêndio, havia perigo de se queimar, (brasas etc...), desabamento de paredes e fora o aspecto psicológico, afinal estava muito recente.

Claro que a primeira coisa que fizeram foi subir diretamente ao local do incêndio...
Logo recebi uma ligação da minha mulher dizendo que ainda haviam focos de incêndio e que o meu sogro teve que apagar um deles com um balde de água.
Minha mulher me falou por telefone:
- Foi um balão, dá para ver a bucha ainda pegando fogo...
Óbvio que não, do contrário os vizinhos e os bombeiros teriam dito algo. Mas ela continuou por muito tempo falando no tal balão.

Eu continuei atendendo aos clientes...

Um deficiente, muito conhecido da área estava lá, sempre tentando conseguir uma cerveja grátis em sua cadeira de rodas, era sempre a mesma história, ele pagava uma e depois fazia uma cara de "gato de botas" do desenho Shrek; convidava alguém para sentar com ele e... pronto! Caiu na armadilha ele bebia "todas" e só pagava a primeira.

A proprietária da qual eu arrendava o horário também estava lá, bêbada como nunca. Tentava ser solidária comigo e com a minha esposa, mas o álcool falava mais alto e ela não conseguia coordenar bem as idéias.

E uns outros que não eram clientes habituais.

A proprietária do prédio desceu para beber, pediu uma mesa, eu atendi e diante dos olhares tão diferentes ela perguntou:

- Aconteceu alguma coisa?

Eu respondi:

- Minha casa pegou fogo!

- O que?

Ela começou a rir, pensando que era brincadeira e levou um bom tempo até se convencer que não era piada.

Passou um tempo e lá vem o carro da minha cunhada com meu sogro e minha mulher dentro. Pude perceber que ela havia trazido roupas e travesseiros.

Fui em direção ao carro e ela me falou algo do tipo: daqui a pouco estarei de volta.

Eu continuei lá, atendendo aos clientes e rezando para minha esposa voltar.

Ela voltou, voltou diferente, como se nada tivesse acontecido, no início não entendi, mas depois percebi que era a maneira dela de parecer forte diante do acontecido.

Me ajudou a servir algumas cervejas.
Depois eu coloquei duas cadeiras a beira da calçada de maneira que poderíamos sentar juntos, porém sem perder a visão total do bar.

Demos as mãos.

Nisso o deficiente pediu uma Antarctica, eu disse a ele que havia acabado e só tínhamos Itaipava no que ele reclamou:

- Mas eu comecei a beber Antarctica e não quero mudar de marca agora.

A proprietária do comércio que eu arrendava tentou intervir dizendo:

- Puxa! Mas também não é assim, quem bebe uma bebe todas...

O deficiente continuou:

- Eu sou exigente, se comecei a beber uma marca não vou trocar...

Eu me levantei e falei:

- Meu irmão eu não estou nem aí para a sua exigência; minha casa pegou fogo e eu não quero saber se você gosta de beber Antarctica ou Itaipava! (falei com certa grosseria)

Depois olhei para o lado e chorei.
Voltei para minha mulher e disse:

No dia tal eu devolver a sua casa. (coisa que eu nuca deveria ter dito, mal tínhamos dinheiro para comprar comida)
Aos poucos as pessoas foram indo embora.
Por volta das 10 ou 11 da noite eu falei:

- Sabe do que mais? Vamos fechar!

Continua...

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Copa do Mundo

A Copa do Mundo na África do Sul revelou que tentativa e erro podem levar a um bom termo:
A Espanha levou 80 anos importando craques do futebol do mundo inteiro observando eles jogarem, imitando-os passo a passo e finalmente após 8 décadas de tentativas conseguiram ser campeões mundiais.
Que alegria!

Dia das Mães, como tudo começou.

O Dia das Mães como nós conhecemos hoje, começou com a morte da norte-americana Ann Maria Reeves Jarvis.
anne-maria-jarvis
Ann Maria Reeves Jarvis
 
Sua filha Anna Maria Jarvis ficou profundamente deprimida com a perda; então suas amigas resolveram organizar uma festa para homenagear a mãe da amiga. Anna gostou da ideia e resolveu estender a homenagem a todas as mães vivas ou não.
 
Logo a coisa se espalhou pelo Estado da Virgínia (EUA), mais tarde por todo os Estados Unidos.
Em 1914 o Presidente Wilson determinou o dia 9 de maio como dia das mães.
Anna_jarvis
Anna Maria Jarvis
Já Em Idade Avançada



No Brasil a data foi oficializada pelo Presidente Getúlio Vargas em 1932 como sendo o dia das mães o segundo domingo de maio.
 
O Dia das Mães é a segunda data mais importante para o comércio no Brasil, só perdendo para o Natal.
 
Os comerciantes deveriam erguer uma estátua a Ann e Anna Jarvis; afinal o que seria do comércio sem a depressão da filha em função da morte da mãe.
Jorge Costa – O Rescator

Nascidos em abril.

Adolf Hitler - 20 de Abril de 1889.

Charlie Chaplin - 16 de Abril de 1889abril

Carlos Luís Bonaparte (Napoleão III) - 20 de Abril de 1808

Juan Miró - 20 de Abril de 1893

Ryan O'Neal 20 de Abril de 1941

Jessica Lange 20 de Abril de 1949

Antônio de Oliveira Salazar (Ditador Português) - 28 de Abril de 1889

Ditadores (e\ou tiranos) e grandes artistas nasceram em Abril; Adolf Hitler, Salazar e Charlie Chaplin inclusive no mesmo ano. Mera coincidência?

Jorge Costa – O Rescator

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Brasília Completa 56 anos!

Dia 21 de Abril de 2016 Brasília completou 54 anos.
 
Parabéns!
 
São 56 anos de cleptocracia.
Um abraço. Jorge Costa – O Rescator

quarta-feira, 7 de abril de 2010

Piora o estado de saúde do cãozinho que mordeu Maradona.

O cãozinho "crack" piorou desde a última avaliação médica feita logo após o evento.
Os médico ainda não estão certos do que teria acontecido, mas acreditam que o bichinho foi vítima de uma grave reação alérgica a produtos químicos que provavelmente estavam presentes na saliva de Maradona.
O ex-jogador não foi encontrado para maiores esclarecimentos.

terça-feira, 30 de março de 2010

Yahoo! Respostas um desserviço a cultura.

 
Olha, eu acho devemos estar sempre com a mente aberta para novas iniciativas, novos horizontes.
 
Mas depois de anos observando o Yahoo Respostas, (é quaseYahoo-Respostas impossível não observar, visto que ele aparece nas primeiras linhas de qualquer pesquisa que se faça) eu cheguei a conclusão que ele não é nada bom, não ajuda em nada ele só prejudica.
 
Acho que nunca encontrei uma resposta coerente dentro do Yahoo Respostas.
 
A grande maioria são respostas a base de "recortar-e-colar" de outros lugares (sites e blogs), isso quando não recorta e colam as respostas de outro serviço extremamente duvidoso a Wikipédia.
 
Ainda existem problemas de proposição do serviço; ele se chama Yahoo Resposta, mas na realidade não é o Yahoo que responde, são os próprios internautas que respondem a uma pergunta de outro internauta e é ele (ou o conjunto de pessoas que estão naquele tópico) é que escolhe a melhor resposta.
 
Parece a história do cego que guia um outro cego.
 
É um festival de burrice; uma atrás da outra. É um estupro intelectual.
 
É pior que o Dixionário da Xuxa que saiu lá pelos anos de 1980 o qual ensinava as crianças a falar e escrever errado. (mais tarde tanto a Xuxa quanto a Marlene Mattos reconheceram a barbaridade que elas cometeram).
 
O Yahoo Resposta é um desserviço a educação, a cultura e ao conhecimento.
 
É um assassinato ao idioma português.
 
É um terremoto de nível 9.9 na escala do aprendizado de quem realmente precisa de uma informação para um trabalho de escola ou para o seu trabalho profissional.
 
Fora o absurdo de serem permitidas as postagens de caráter médico, perguntas sobre remédios para uma determinada dor, dicas para curar dor de dentes, dor nas costas.
 
A descontinuação deste trabalho do Yahoo, seria muito bem vindo a evolução do conhecimento humano.
Um abraço – Jorge Costa – O Rescator.

Maradona foi mordido por cão em legítima defesa.

Hoje 30 de Março de 2010, o ex jogador de futebol Diego Armando Maradona foi mordido por um cão.
O canino foi levado as pressas para a Clínica do Arcos (situado na Grande Buenos Aires), onde após inúmeros exames concluiu-se que ele passa bem.
Segundo o médico que atendeu o animal, constatou-se apenas uma pequena reação alérgica no pelo. (veja a foto).
O cachorro que atende pelo nome de "crack" teria reagido a uma tentativa do roliço técnico da Seleção Argentina de Futebol em fumá-lo ao que reagiu mordendo o lábio do "Génio de la Coca".
Alucinado pelo uso de entorpecentes desde muito tempo (inclusive atribuindo a gols feitos por Deus através de sua mão), o ex-jogador não foi encontrado para esclarecer o ocorrido.
Sempre educado com a imprensa o cãozinho "crack" disse que pretende entrar com uma ação de danos morais contra o ex-jogador e pedirá o ressarcimento das despesas médicas decorridas do tratamento anti-alérgico ao qual foi submetido após o incidente.
Após o escândalo da nova cor das camisetas da Seleção Argentina que agora não exibe mais as listras brancas, medida tomada pelos dirigentes da AFA (Asociación Argentina de Fútbol) para evitar as constantes tentativas do gordinho de cheirá-las; não se sabe que destino tomará Diego; apenas sabe-se que ele está sempre Armando alguma coisa.
Um abraço.

sábado, 27 de março de 2010

Ponte Rio - Niterói completa 42 anos.

 
A Ponte Rio - Niterói (seu nome oficial é Ponte Presidente Costa e Silva) foi inaugurada no dia 4 de Março de 1974.
 
Ponte Rio-Niterói (Detalhe, Vão Central)
De fato a ponte foi um marco da engenharia nacional; é 7ª maior ponte do mundo (a maior do hemisfério sul), a maior estrutura de concreto protendido das 3 Américas o maior vão em "viga reta" jamais construído. Com cerca de 14 quilômetros de extensão ela veio suprir uma dificuldade; a aproximação da Cidade do Rio de Janeiro com o antigo Estado do Rio de Janeiro. Antes dela, ou você atravessava a Baía de Guanabara por via marítima, as famosas "Barcas de Niterói" que antigamente chamavam-se "As Cantareiras"; você poderia enfiar seu carro em uma das barcas (barcaças) e levar cerca de 1 hora para chegar a Cidade de Niterói (as barcas de transportes de automóveis não existem mais) ou pegar a barca de passageiros (essas ainda existem).
Ponte Rio-Niterói, ainda em Construção

Obs.: Os niteroienses em sua maioria chamam as barcas de lanchas.
Havia um outro meio; contornar toda a Baía de Guanabara por estradas que atravessam diversos municípios. (isso você ainda pode fazer).







Barcas (barcaças) Rio - Niterói para automóveis.
Foto de Manolo Conde
Cortesia de Luiz Darcy o melhor fotoblog de imagens do Rio Antigo do Mundo

A Baía de Guanabara tem sua entrada (e saída é claro) relativamente estreita, mas o seu contorno é enorme.
 
Viagens que poderiam levar mais de 9 horas, passaram a durar 2 ou 3 horas.
 
Mas (sempre tem um mas) a Ponte Rio - Niterói causou muitos danos.
 
Vamos lembrar de um fato histórico: uma coisa era o Estado do Rio de Janeiro e outra coisa muito diferente era a Cidade do Rio de Janeiro. A Cidade do Rio de Janeiro nunca teve nada em comum com o antigo Estado do Rio de Janeiro exceto o nome (até mesmo o sotaque era, e ainda é completamente distinto); a Cidade do Rio de Janeiro era o Distrito Federal ou seja a Capital do Brasil e mais tarde, quando a Capital se transferiu para Brasília, a Cidade do Rio de Janeiro passou a ser a Capital do antigo Estado da Guanabara.
 
E o Estado do Rio de Janeiro?
 
O Estado do Rio de Janeiro sempre foi separado, tinha a sua própria capital, a Cidade de Niterói.
 
As cidades do Estado do Rio de Janeiro, tinham sua própria vida, afora aqueles que trabalhavam na Cidade do Rio de Janeiro, ou porque eram funcionários públicos federais (lembre-se a Capital da República era lá) ou outros que trabalhavam em fábricas, mas eram poucos.
 
Por que eram poucos?
 
Porque a cidade do Rio de Janeiro ficava muito longe da grande maioria das cidades do antigo Estado do Rio de Janeiro.
 
As cidades produziam seus próprios empregos, suas próprias fábricas, haviam fazendas, sítios, as cidades tinham seu próprio comércio, seus cinemas, seus lazeres.
 
Com o advento da Ponte Rio - Niterói, isso tudo mudou.
 
Os habitantes das cidades do antigo Estado do Rio de Janeiro, passaram a querer trabalhar na Cidade do Rio de Janeiro pois ela estava agora muito próxima; assim, cidades antes prósperas (ainda que algumas fossem bucólicas) passaram a ser "Cidades Dormitórios" do Eidade do Rio de Janeiro.
 
Antes, todos "se viravam": Prefeitos, Vereadores, comerciantes, produtores rurais, comerciantes e industriais.
Depois da Ponte Rio - Niterói a Cidade do Rio de Janeiro é que teve que "se virar".
 
Um ano após a inauguração da Ponte Rio - Niterói, ocorreu a fusão do antigo Estado do Rio de Janeiro com o antigo Estado da Guanabara, passando o novo estado a chamar-se Estado do Rio de Janeiro (daí a grande confusão); os Guanabarinos (como é o meu caso) passaram ter o gentílico de fluminenses. Só para esclarecer mais uma vez; quem nasce na Cidade do Rio de Janeiro continuou a ser Carioca.
 
Piorou tudo.
 
Niterói, antes Capital de um Estado, virou mais uma das agora muitas "cidades dormitórios", a Cidade de Itaboraí por exemplo que era conhecida como a "Terra da laranja" teve sua produção reduzida em 95% ao longo dos últimos anos, localidades como Venda das Pedras (Itaboraí) ficaram parecendo cidades fantasmas.
Um abraço. Jorge Costa – O Rescator.

sexta-feira, 26 de março de 2010

O que é ser Afro-Brasileiro?

Eu sou Afro-Brasileiro, me disse certa vez um rapaz em um bar onde os vizinhos tinham o hábito de tomar uns goles aos sábados pela manhã. Ele me disse isso quando escutou alguém falando sobre a quantidade de estrangeiros que vieram morar no bairro nos últimos anos.
Eu perguntei ao rapaz: Quem te disse isso?

Ele respondeu: Eu sou negro cara!

E desde quando a cor da pele dita a nacionalidade de alguém?

Muito menos a aparência física.

Eu por exemplo não tenho ancestrais conhecidos em nenhum país europeu, no entanto rastreando a minha árvore genealógica, sei que lá pelos idos do século 16 ou 17 foi quando meus antepassados portugueses chegaram ao Brasil e no século 20 ocorreu a entrada de descendentes de espanhóis e passaram a fazer parte da família. Bom, eu não tenho nenhuma relação com a Europa, minha família já está aqui a tempo demais para guardar qualquer resquício da cultura europeia; mas dentro do raciocínio do rapaz Afro-brasileiro eu deveria me definir como Ibero-brasileiro.

Eu nem ao menos sei de que parte de Portugal meus antepassados vieram.

Eu não tenho nenhuma relação com Portugal (fora o idioma é claro).

Da mesma forma, o jovem que se auto intitulou Afro-brasileiro não sabia nem para que lado fica a África, e se soubesse (na verdade, no caso em questão, ele não sabia mesmo) a África não é um país, a África é um continente, com muitos países de culturas diversas, religiões diversas, climas diversos.

E no passado?

Igualmente!

A África era dividida em grandes nações étnicas (não necessariamente de negros).

Se você é Afro-brasileiro, você então deverá saber a que nação seus antepassados pertenceram; por exemplo: eles foram Gêge, Nagô, Banto (ou Banto), Zulu?

Sabe o que eu penso sobre essa bobagem de Afro-brasileiro?

Quando alguém trata um negro como ele sendo Afro-brasileiro, ele só é 50% brasileiro, 50% cidadão.

É assumir, que a cor da minha pele me faz ser menos brasileiro que os de cor branca ou amarela.

O Branco é brasileiro o negro é Afro-brasileiro, o negro só é 50% brasileiro, só a metade.

Então que tal parar com essa idiotice?

Todos somos brasileiros de longa data; assim como eu não tenho a menor ideia (real) da cultura e do sentimento português, o meu interlocutor negro não fazia a menor ideia de onde fica Angola ou a Guiné.

Um abraço! Jorge Costa – O Rescator

Ministra Dilma Rousseff será Cidadã Niteroiense.

Eu sabia que a Ministra Dilma Rousseff tinha nascido em Minas Gerais (Belo Horizonte) e que tinha vivido uma boa parte da vida no Rio Grande do Sul, eu sabia até que o pai dela era búlgaro, mas agora ela parece que vai se tornar niteroiense. Ela receberá o título de Cidadã de Niterói a pedido do Vereador André Diniz (PT).


O problema é que Dilma nunca esteve na Cidade de Niterói!
Ela deve saber onde fica mais ou menos devido a fama da Ponte Rio-Niterói, nada mais que isso.
Nunca fez nada pela cidade.
A idéia de jerico, veio de onde menos se esperava, visto que o Vereador André Diniz sempre foi considerado um homem intelectual e muito culto para os padrões dos políticos nacionais.
Olha, me desculpe sr Vereador, mas isso é ridículo.
Um Abraço. Jorge Costa – O Rescator

quarta-feira, 17 de março de 2010

Quem é a Ampla, o que é a Ampla?*

* Texto copiado na íntegra do Blog Eu Odeio a Ampla com a permissão do autor.
Um pouco de história:

Antes da malograda existência da Ampla Energia e Serviços S.A. em nossas vidas, existia a CERJ Companhia de Eletricidade do Rio de Janeiro. Era igualmente um inferno.
Porém a CERJ era uma empresa estatal, brasileira etc..
Hoje a Ampla é uma empresa dirigida por estrangeiros, sem nenhum compromisso com a população fluminense; o único compromisso que a Ampla tem é com seus acionistas e com a lucratividade da empresa.

O Capital da Ampla é dividido nas seguintes proporções:

Endesa Brasil S.A. 46,89%
Chilectra Inversud S.A. 21,02%
Enersis S.A. Agencia Ilhas Cayman 13,68%
Chilectra S.A. Agencia Ilhas Cayman 10,34%
EDP Energias de Portugal S.A. 7,70%
Outros 0,37%
Não, você não está louco, nem eu, você leu certo: Ilhas Cayman!

Só isso já é o suficiente para nós consumidores cidadãos brasileiros nos sentirmos aviltados, humilhados, indignados; a Ampla tem parte (ou todo) de seu capital ligado as Ilhas Cayman.

Mas vamos continuar;

Quem é a Endesa Brasil? Dona da maior parte da Ampla com 46,89% do controle acionário.

Em primeiro lugar, devo explicar que Endesa é uma Empresa Multinacional e o nome Endesa Brasil é o mesmo que Ford Brasil, Chevrolet Brasil ou seja de brasileira não tem nada a não ser o nome Brasil após o nome Endesa.

A composição acionária da Endesa é a seguinte:

Empresa Nacional de Electricidad S.A. com 35,29% que na verdade é a própria Endesa!
Ok, eu sei que ficou confuso; então eu vou escrever de uma outra maneira: ENDESA é a sigla de Empresa nacional de Eletricidad S.A. (não se esqueça do S.A. quando fizer a contração das palavras) e a Endesa é uma empresa Chilena, é, você não entendeu errado não, a controladora oficial da Ampla é uma empresa Chilena.

Endesa Latinoamérica S.A. com 27,72%. Outra vez! É, outra vez a Endesa só que com outro sufixo (Latinoamérica) tem a segunda maior fatia da Endesa Brasil ou seja é a mesma empresa o tempo todo.
Enersis S.A. com 21,46%. Adivinhem quem é a dona da Enersis S.A.? Acertou! É a Endesa.
International Finance Corporation IFC com 2,7% Esta instituição é um órgão do Banco Mundial.
A segunda maior acionista da Ampla é a Chilectra Inversud S.A. com 21,02% das ações. Primeiro vamos desmembrar a palavra Chilectra: Teremos Chile + Electra; mais uma empresa chilena, e sabe quem é a dona da Chilectra? Acertou outra vez é a Endesa.

Enersis S.A Agencia Ilhas Cayman com 13,68. Bom, a Enersis S.A. não tem um site na internet (ao menos não com este nome), não encontrei um descritivo desta agência, aliás não é necessário ser um gênio para saber que as Ilhas Cayman são paraísos fiscais e não são nada mais que isso, portanto qualquer escritório lá só tem como único objetivo não pagar impostos. Bom, lendo muito (muito mesmo) descobri que a Enersis no final das contas pertence ao universo financeiro da Endesa; descobri um um documento chileno de 2008 que diz que a Enersis S.A. Agencia Ilhas Cayman não faz mais parte do pool de empresas que compõe o quadro de acionistas da Ampla.
Chilectra S.A. Agencia Ilhas Cayman com 10,34%. Chilectra nós já vimos acima e com relação ao resto, é basicamente o mesmo da Enersis Agencia Ilhas Cayman; basta ler o parágrafo acima e repetir neste.
EDP Energias de Portugal S.A. com 7,70% das ações da Ampla. A E D P é uma empresa de distribuição de energia elétrica de Portugal (a maior e praticamente a única) e, o que ela tem que ver com iluminação aqui no Brasil é que eu não sei.
Outros com 0,37%. como diz uma canção, os outros são os outros.
Assim amigos o dinheiro que você gasta pagando a sua conta de energia elétrica em Itaipú (Niterói) por exemplo tem que encher muitos bolsos antes de alguém se preocupar com o transformador da esquina ou se falta luz mais de uma semana em Jardim Catarina em São Gonçalo.
* Repetindo: Texto copiado na íntegra do Blog Eu Odeio a Ampla com a permissão do autor.
Um abraço, e como diria o autor original do post:
Até o Próximo apagão.

quinta-feira, 4 de março de 2010

O que quer dizer Google?

Eu tenho reparado que muitas pessoas pensam que a palavra Google é apenas um nome engraçado de uma marca; na verdade Google é uma expressão numérica, uma quantidade e de certa forma um valor.
 
Quando o ser humano começou a estudar o espaço cósmico, os matemáticos e os físicos (melhor ainda os astrofísicos) não tinham expressões numéricas para medir grandes distâncias.
 
Quando se estimou (e depois foi confirmado com uma precisão incrível) a distância da Terra a Lua, ainda se usava para medir essas distâncias, o metro e o seu valor multiplicado por mil o Quilômetro ou seja quilometro = a mil metros (k = a mil em qualquer medida, por exemplo Kilo = quilograma que é igual a mil gramas).
Até aí tudo bem, a distância da Lua para a Terra é de apenas 384.405 Km.
 
Mas, logo depois nós começamos a estimar outras distâncias como a distância da Terra para o Sol que é de cerca de 150.000.000 km.
Nesta época, não existiam computadores, nem calculadoras eletrônicas, no máximo existiam as réguas de cálculo (eu tenho menos de 50 anos e cheguei a usar régua de cálculo).
 
Fazer cálculos simples como 2 x 567 é relativamente fácil, mas fazer um cálculo com um número na casa dos milhões já fica mais complicado; então os estudiosos decidiram criar uma unidade que representasse a distância da Terra para o Sol e assim foi criada a UA que significa Unidade Astronômica, uma Unidade Astronômica representa a distância da Terra para o Sol 149.597.870.
 
Bom, aí nós começamos a estudar astros mais distantes como por exemplo a estrela Alfa do Centauro que é a estrela mais próxima do nosso Sistema Solar; ela fica a distância de 265.796.404.721 de UA é um número muito grande não é?
Então, decidiu-se criar o Parsec (a história é muito comprida para explicar aqui).
 
Vamos tomar uma distância bem maior do que a distância do Sol para Alfa do Centauro; a distância entre a Terra e o Centro da nossa Galáxia a Via Láctea 7,9 Kpc (quase 8 mil Parsec's), (é longe pra caramba!).
 
Depois passou a ser usado o Ano-Luz que é a distância que a luz percorre durante um ano que é equivalente em quilômetros a 39.762.576.000.000.
 
Esses números passaram a ficar enormes dificílimos de trabalhar para efeito de cálculo e fora completamente do escopo de nossa imaginação.
 
Durante as discussões entre os números e o ser humano, o Matemático americano Edward Kasner, escreveu o livro "A Matemática e a Imaginação" e para representar um número muito, muito, muiiiito grande ele pediu ao seu sobrinho de 8 anos (Milton Sirotta) para inventar um nome para esse número muiiiito grande; e ele falou: Googol!. Bom, o número Gogol que é equivalente ao numero 1 seguido de 100 zeros separados por pontos a cada conjunto de 3 algarismos representando a casa dos milhares. 1 googol até hoje não obteve utilização prática; fica dentre as chamadas "ficções úteis" como o zero (que não existe, mas nós o usamos para fins de trabalho).
 
Os fundadores do Google utilizaram esse conceito de uma coisa muito grande (a Internet) e muito longe do infinito.
 
Provavelmente mudaram a grafia para não incorrer em problemas legais pois é difícil registrar uma marca com o nome de uma expressão numérica. Seria como você fundar uma empresa com a marca registrada X ou Z (Spike Lee teve esse problema quando lançou o Filme Malcon X).
 
Ah! Eu ia esquecendo, mesmo sem ter uma utilização prática para o número google, já existe o google plexo (ou googol plex), é grande para dédéu.
 
Um abraço!
Jorge Costa

quarta-feira, 3 de março de 2010

O que quer dizer Avatar?

Olá pessoal!
 
Faltam poucos dias para a entrega do Oscar 2010.
E nessa corrida para receber a estatueta um dos mais cotados é o filme Avatar.
 
Mas o que muitos se perguntam é: O que quer dizer Avatar?
Avatar (ou Avatára) é uma palavra do idioma sânscrito (idioma morto que foi falado principalmente onde hoje é a Índia) que significa uma das encarnações de um Deus principalmente Vixnu
(ou Vishnu ou ainda Vichnu essa última grafia foi muito usada em português arcaico). Como é uma nova encarnação, ele se apresenta com um novo aspecto ou seja é de uma certa maneira uma novidade. Nós aqui no ocidente muitas vezes entendemos como Avatar um mensageiro e algumas pessoas entendem a palavra como um profeta.
 
Não é muito difícil entender o por que. Como Vixnu se reencarna, ele é novo ou traz novidades, notícias. Desta maneira comparando a um profeta, ele professa algo novo que ninguém sabia; não deixa de ser uma mensagem; concorda?
 
Jesus Cristo foi um Avatar?
 
Considerando a analogia acima, sim, ele foi um Avatar.
 
A vida e a obra de Jesus Cristo é descrita nos Evangelhos (do latim Evangelium e do grego Evangelion) Evangelho, tanto em latim quanto em grego, significa literalmente Boas Novas; traduzindo para uma linguagem mais moderninha, Boas Notícias ou Boas Novidades e Jesus era o Verbo que se fez carne ou seja ele se encarnou (entrou na carne). O Verbo, o som, a frequência divina (ou como gostam os evangélicos A Palavra) encarnou em forma humana e trouxe boas Novidades para o ser humano.
 
Muitos outros personagens religiosos ou místicos também foram considerados Avatares, mas isso fica para um próximo post.

Um abraço.
Jorge Costa

terça-feira, 2 de março de 2010

O que quer dizer crepúsculo?

O Carnaval acabou, ficaram, como sempre, algumas marchinhas que não saem da memória:
 
Se você fosse sincera ÔÔÔÔ Aurora!
 
Mas, sinceramente, você sabe o que quer dizer Aurora?
 
E Nadir? Você sabe o que significa?

Bom vamos lá:

Aurora é o momento do amanhecer, quando o Sol está nascendo, tecnicamente, é quando o Sol está metade aparecendo e metade ainda escondido, esse é o momento exato da Aurora o horário varia dia a dia dependendo de vários fatores. Aurora é o mesmo que Alvorada, Nascer do Sol e Nascente. O seu oposto é o Crepúsculo, quando o Sol está quase se podo ao final do dia, também pode ser chamado de poente, por do sol.

Quando o sol está a pino, bem no meio do céu, este momento se chama Zênite (ou Zenith e em português de Portugal Zénite). O seu oposto, quando o sol não pode ser visto por você e está exatamente abaixo de seus pés do outro lado do planeta, esse momento é o Nadir do Sol.
Portanto, agora você já pode dizer para a sua amiga Aurora ou Nadir qual o significado dos seus nomes, pode explicar a marca Zenith de eletrônicos o que significa e pode explicar para todo mundo o que significa Crepúsculo do livro e do filme.

Um abraço a todos.
Jorge Costa

O que quer dizer lol?

Olá Pessoal!
Como muita gente sabe, eu fui o autor do extinto Site do Bairro do Catete e lá no site tinha a (moda antiga) o livro de visitas; o livro é moderado ou seja, só é publicado após a minha aprovação.
 
Um rapaz (ele disse ter 17 anos) leu uma das páginas onde havia algum gracejo meu, gostou, foi a a página inicial do site e escreveu no livro de visitas: lol.

Eu não publiquei a mensagem.
Ele me enviou um e-mail reclamando que o livro de visitas não estava no ar, pois ele havia postado uma mensagem e não havia sido publicada, coisa e tal, tal e coisa...
 
Eu respondi ao e-mail educadamente ao rapaz explicando a ele que eu não publicava mensagens do tipo lolol (ou coisas parecidas)
 
Ele me enviou outro e-mail perguntando, por que?
 
Eu respondi que lololol é muito pouco para ser publicado (ainda que não deixe de ser em última análise um elogio) após mais de 10 anos de trabalho no site, além do mais ele não havia se identificado.
 
Ele disse que lol é uma coisa muito comum e que eu deveria aceitar isso, que eu deveria ser um velho e que deveria aceitar lolololol.
 
Eu perguntei se ele sabia (hoje em dia ele sabe) o que era lololololol. Ele disse que não.
 
Eu expliquei a ele que lol é abreviação de "laughing out loud" que em português quer dizer mais ou menos "rindo muito alto" ou também "lots of laughter" "montes de risos" e algumas pessoas se expressam como "laughing on line" "rindo on-line".
 
Ele, assim como muitas pessoas usam uma expressão sem ao menos saber o que quer dizer.
 
Bom, na verdade eu acho isso uma idiotice seja o lol ou rpc (rindo pra cacete). Escreve logo, "rindo muito" ou "gostei do seu trabalho" ou ainda achei muito engraçado o que você escreveu.
 
Ele não me escreveu mais.
Um abraço a todos.
Jorge Costa – O Rescator

segunda-feira, 1 de março de 2010

Quanto custa uma Site, uma Página, um Post? Quanto Custa o Plágio?

(*É importante ler o último parágrafo para entender este post)
Este post é para denunciar o plágio do meu trabalho na Internet.
Quanto custa para ter um site na Internet?
Quanto custa para escrever uma página?
Quanto custa um post em um blog?
Claro, existe um custo monetário, você tem que pagar um host para o seu site, e a menos que você escreva o seu site do trabalho, você tem de ter Internet em casa; seja discada ou banda larga, você terá que pagar.
Mas não é exatamente isso que eu queria discutir, eu queria escrever sobre o custo que ninguém vê.
Por exemplo, se você tem um site da sua papelaria, você além dos custos já citados acima, você terá que pagar para alguém fazer este site para você; eu sei o que você está pensando; a menos que o próprio dono da papelaria saiba fazer o próprio site da sua loja; mas se ele está fazendo sites (ou atualizando) ele não está vendendo lápis, borracha e outras coisas que se vendem em papelarias.
Além disso se você é dono de uma papelaria (ou qualquer tipo de outra atividade, você lutou pra caramba para chegar lá e isso tem que ser levado em consideração na hora de avaliar o custo de um site.
Quanto custa uma página do seu site?
Voltando ao exemplo da papelaria, se uma página é para fazer divulgação da sua linha de lápis, é porque você tem lápis para vender e quanto custou para ter na sua papelaria montes de lápis para vender? Isto tem que ser levado em conta quando se calcular o custo de uma página.
Quanto custa um post em um blog?
Bom aí é que começa a ficar interessante essa história...
Você escreveu um post sobre o documentário do homem javali no Discovery Channel, não interessa a opinião em si, mas o que interessa é que para assistir o canal Discovery, você deve ter uma TV por assinatura e isso tem um custo (a menos que você peça a vizinha para assistir na casa dela).
Você perde tempo assistindo o programa (e tempo é dinheiro) você deve escrever algo de interesse para os internautas do contrário ninguém vai querer ler o seu post, e para escrever bem, você ficou anos na escola e isso não foi barato, mesmo que seja uma escola pública, você gastou muito para se formar, sua mãe gastou dinheiro de material escolar..etc...
Além disso, não basta você saber ler e escrever, você tem que ter criatividade e isso não tem preço, tem que ter intelgência e isso não tem preço ou é caro pra caramba.
No meu caso eu sei o quanto me custa; eu sei quanto me custa um site, uma página e estou aprendendo o quanto me custa um post aqui no Blogspot (Blogger).
Quem me conhece melhor sabe que eu sou o autor do Site do Bairro do Catete a mais de 10 anos; só de hospedagem no Hostnet ele já tem 7 anos. (antes ele passou pela extinta Vila Bol e depois pelo HPG ainda estando lá só que em uma versão desatualizada).
No início a hospedagem paga era cara pra caramba, agora é uma merreca de R$ 22,00.
Mas como eu comentei não é disso que eu estou falando e sim o custo que ninguém vê.
No caso do Site do Bairro do Catete ele é fruto de um livrinho que eu escrevi chamado Pequena História do Catete; como esse livrinho foi editado com recursos próprios foram feitos poucos exemplares e foram quase todos vendidos na "noite de autógrafos"; logo depois os amigos do bairro me cobraram de o por que eu não publicar na Internet já que eu conhecia o assunto?!
Bom, de fato eu sou da época do byte-lascado (dos primórdios da atualmente chamada informática) então era quase obrigatório publicar na net. Assim foi feito, mal na época, mas fiz, depois houveram reclamações de que estava muito pobre e melhorei; fui melhorando, fui acrescentando imagens, vídeos, novas colunas, biografias de personagens relacionadas direta ou indiretamente ao bairro etc... Assim foram caminhando as coisas até hoje mais de 10 anos após a publicação do meu livrinho.
Quanto custa tudo isso?
Quando eu comecei a escrever as primeiras biografias, eu me lembro muito bem da minha insegurança por não ser um historiador formado em uma faculdade, o medo que eu sentia em cometer erros...
Me lembro quando escrevi a biografia de Carlota Joaquina onde me aventurei a escrever meus primeiros diálogos e morri de medo de uma possível desaprovação do público.
Me lembro que quando escrevi a biografia do Barão de Nova Friburgo, eu não podia me ausentar de casa para fazer pesquisas por muito tempo pois minha avó estava a morte e eu não confiava na doméstica que trabalhava para mim para dar os remédios na hora certa.
Lembro do quanto me custou as 93 Certidões de Ônus Reais para obter dados de cada imóvel que eu cito no site.
É, tudo teve um custo.
Mas, logo depois vieram as recompensas, acessos muitos acessos, afinal a Internet tinha menos de 10 anos, não existia o Google, o Yahoo era super novidade, não existia a bendita/maldita Wikipédia. Enfim em 2003 o site contou com mais de um milhão de acessos no ano!
Depois foi caindo, caindo e no ano passado (2009) 120.000 acessos no ano.
Existem muitos motivos para uma queda dessas proporções; mas uma é uma desgraça: O plágio!
Meu trabalho foi plagiado desde o primeiro ano (aproximadamente em 1998); no início eu caí na esparrela de acreditar nos folclores populares tipo: Se te copiam é porque seu trabalho tem valor, é por que é bom etc..
Depois houve um caso de um grande jornal de São Paulo que copiou quase uma página inteira sobre o Bairro do Catete. Foi a primeira vez que eu me manifestei; como a matéria era assinada, eu enviei um e-mail para a jornalista reclamando (ela copiou até os meus erros de português e de digitação) e ela através de e-mail, (não se retratou no jornal) me pediu desculpas disse que era nova no jornal e perguntou se eu ia denunciar o ocorrido blá...blá... blá. Resolvi esquecer o assunto.
Sempre copiaram meu trabalho.
Mas hoje eu resolvi tentar (eu disse tentar) dar um basta nessa situação.
A biografia do Barão de Nova Friburgo foi copiada na íntegra em um blog chamado NOVA FRIBURGO; (o link não o levará mais a página, pois foi retirada do ar pelo google [blogspot] após minha denúncia; leia esclarecimentos ao final deste post) os link´s estão incorporados aos nomes, portanto basta você leitor clicar e comparar. Da mesma forma a Biografia de Dom Pedro II foi copiada na íntegra (só não copiaram as imagens) por um portal denominado CrazyMania e ficou assim CrazyMania Biblioteca. (o link anterior não o levará mais para o plágio, pois no dia 03/03/10 eles retiraram do ar após meus protestos; leia eslarecimentos ao final deste post) Este portal CrazyMania, segundo o whois, pertence a Rádio Piratã de Salvador LTDA.
Vou deixar por aqui os exemplos, pois eu acabo fazendo propaganda deles.
O Site do Bairro do Catete não tem uma propaganda sequer, nunca ganhei um níquel com ele (só tive despesas) enquanto ambos os plagiadores tem montões e montões de propaganda.
Estou tomando as medidas judiciais cabíveis dentro da lei de direitos autorais, enquanto isto, ambos foram denunciados (o NOVA FRIBURGO foi denunciado inclusive ao Google que prometeu providências para retirar o blog do ar e de ambos serão retiradas as propagandas do Google por descumprimento dos Termos de Adesão ao Ad sense e Adwords.
Bom, acho que já escrevi demais para meu tamanho, vou ficando por aqui; este post acabou ficando longo demais, mas acho que todos que lerem este relato entenderão minha revolta, angústia e tristeza.
* Em 16/03/10 o Google proprietário do blogspot retirou o post inteiro do ar após alguns dias da minha denúncia e o CrazyMania retirou do ar a página após minha denúncia ao provedor (host) do portal deles, e uns dois ou três e-mail´s meus avisando que eu ia entrar com uma queixa crime contra eles; então, vale a pena reclamar, denunciar enfim correr atrás do que é seu por direito. Vale a pena Denunciar plágio ou cópia do seu trabalho!
Um abraço a todos e até o próximo post.
Jorge Costa

sábado, 27 de fevereiro de 2010

O que é uma República? (de estudantes)


Olá pessoal!

Este é o tipo de coisa que eu arrogantemente pensava que todo mundo sabia, mas depois de uma situação fiquei sabendo que poucas pessoas se dão conta.

Tudo aconteceu um pouco antes do Carnaval, quando foi proibido o aluguel das Repúblicas Universitárias (principalmente nas Cidades Históricas de Minas Gerais) para turistas que queriam uma hospedagem mais barata durante o Carnaval.

E uma pessoa comentou: Que bobeira! Por que o governo proibiu isso?

E eu respondi: Porque não pertence aos estudantes, pertence a República!

Por que se chamam Repúblicas?

Porque antes de ser proclamada a República os estudantes universitários tinham que arcar com as suas despesas de hospedagem durante todo o seu curso universitário. Sendo assim mesmo que um jovem pudesse pagar os custos de um curso superior, ainda teria que pagar os custos de moradia durante todo o tempo de curso.

Em geral os universitários eram mantidos pelos pais, que alugavam um lugar para os filhos morarem nas cidades onde as universidades se situavam ou pediam para que algum parente os hospedassem.

A criação das Repúblicas Universitárias foi uma resposta do novo regime republicano a antiga aristocracia; agora o governo que é do povo é quem sustenta a moradia dos estudantes; você não precisa ser o filho de um aristocrata para poder fazer a sua universidade em uma cidade distante.

Desta forma aqueles sobrados onde os estudantes ficam lá em Ouro Preto por exemplo enquanto fazem sua faculdade, não pertencem a eles, pertencem a todo o povo brasileiro e portanto eles não podem alugar a turistas durante o Carnaval para ganhar uns trocados.

Um abraço!

Jorge Costa


Carnaval, xixi na rua. Moi, toi, à ton père de!


Olá pessoal!

Já a muito tempo eu queria escrever sobre o assunto xixi na rua.

No último Carnaval no Rio de Janeiro os idiotas do governo resolveram prender quem fazia xixi na rua durante os desfiles de Blocos Carnavalescos (Blocos de Carnaval como dizemos aqui).

Isso é simplesmente ridículo!

Mais uma tentativa dos nossos governantes "mauricinhos" que querem ser mais realistas que o próprio rei em tentar fazer do Rio de Janeiro (e em alguns casos o Brasil inteiro) de Berna na
Suíça ou Antuérpia na Bélgica (como se nesses países ninguém fizesse xixi na rua; pois sim.).

Tentaram fazer isso em algumas cidades da Europa e os chamados tecnocratas europeus quebraram a cara.

Começaram, não a prender que eles lá não são bestas, mas sim a multar pessoas que faziam xixi na rua. Até que eles multaram um advogado que contestou a multa na justiça, alegando que funções biológicas estão acima de qualquer normativa, lei ou determinação de qualquer prefeito ou autoridade mortal. Ele usou a seguinte expressão ao Juiz que julgou a questão: Moi, toi, à ton père! Que quer dizer em português algo como: Eu, você e até teu pai!

O Juiz entendeu que qualquer um que esteja com a bexiga cheia, não poderá ser punido a menos que esteja diante de um banheiro disponível, sem uma fila e com higiene o suficiente para ser usado.

Eu fiz xixi na rua porque estava muito apertado? Fiz! Eu fiz xixi! E você também faria; eu, você e até teu pai.

No caso do Carnaval do Rio de Janeiro os agentes do estado com a polícia (como se a polícia não tivesse nada mais para fazer) foram ao encalço dos incontinentes urinários e os prenderam por atentado ao pudor! A alguns metros dos policiais os ladrões roubavam os aparelhos celulares dos Súditos de Momo sem o menor pudor, mas as câmaras da Rede Globo estavam filmando o atentado ao pudor e nem uma vez focalizou os assaltos e furtos em plena luz do meio-dia.

É verdade que a prefeitura fez uma parceria com a Cerveja Antarctica (que hoje faz parte da AMBEV, mas que teve seu início em um abatedouro de porcos) para a instalação de banheiros químicos públicos com sua propaganda ostentadas pra tudo quanto é lado. O problema é que os banheiros eram ridiculamente insuficientes para tamanho número de pessoas nos blocos.

Com tantas pessoas enchendo a caveira de cerveja e pulando qual coroinha possuído pelo tinhoso, os foliões necessitavam tirar a água do joelho, com as filas enormes e a micção pronta a sair, não tinha jeito, iam todos mijar no primeiro cantinho disponível.

O pior, aconteceu com as mulheres; os banheiros (tanto femininos quanto os masculinos) ficavam infectos em poucos minutos de uso e não havia papel higiênico para as mulheres.

Eu penso que se você não quer que façam xixi nas ruas, não promovam manifestações populares nas próprias ruas com milhares de pessoas bebendo cervejas.

Se você quer promover festas populares com milhares de pessoas bebendo cervejas e não quer que façam suas necessidades biológicas nas ruas, que ponham banheiro o suficiente por todo o percurso para que no máximo haja uma fila de 3 pessoas, nada menos que isso, ou haverá choro e ranger de dentes, e é claro xixi na rua.

Ninguém tem o poder para-psicológico para ordenar a sua uretra não expelir a reciclagem etílica. Ao menos não pulando Carnaval, com mais de 40 Cº e uma sensação térmica de mais de 50Cº.

Ninguém; nem eu, nem você e nem seu pai.

Um abraço

Jorge Costa


quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Previsão do Tempo

Olá!
Eu sei que estou devendo um monte de post's pois fiquei muito tempo sem escrever aqui no blog. Mas os motivos são muitos que me impediram de atualizar O Rescator.
Bom, hoje foi o primeiro dia que choveu em mais de um mês sem cair uma gota de água do céu (aqui no bairro onde moro no Rio de Janeiro).
Eu acompanhei assíduamente a previsão do tempo (clima) em todos os jornais televisivos e no site do CLIMATEMPO e também no Canal do Climatempo (Canal 102 da Sky aqui no Rio).
Bom, era um festival de disparidades a respeito da temperatura e se faria sol ou chuva no dia seguinte.
Deixa eu explicar uma coisa, eu tenho uma mania danada de termômetro...
É, eu tenho um monte deles em casa e até no carro.
Eu tenho termômetro na varanda, na cozinha, no quarto, no escritório; eu tenho termômetro de coluna de mercúrio, tenho termômetro de temperatura máxima e temperatura mínima no período; tenho termômetro de mercúrio (metal liquido) também de máxima e mínima. Tenho termômetro do Paraguay, tenho termômetro brasileiro em Gráus Celsius (Cº), tenho termômetro americano em Fahrenheit (Fº) tenho de tudo quanto é tipo, formato e qualidade.

Tenho um que é o meu xodó: É um digital que mede a temperatura interna e externa da casa tanto máxima quanto mínima em um determinado período.

Eu verifico este termômetro várias vezes por dia e a noite também.

Eu reseto (zero) uma vez por ano e assim sei qual foi a temperatura máxima no ano e a mínima também; e anoto em um papelzinho.

Devido ao calor extremo e a pouca humidade, as plantas do meu jardim e a pequena horta que possuímos estavam morrendo.
Então passei a regar todos os dias em horários diversos.
Isso além de me tomar um tempo imenso (a horta é pequena mas o jardim é bem grandinho) gasta uma água fenomenal e energia elétrica para ligar a bomba e reencher a caixa após cada regada.

Dia após dia eu rezava para chover e nada...
Começava com a previsão do Bom dia Brasil da Rede Globo e terminava com o Canal do Climatempo. Várias vezes eles anunciavam solenemente que choveria e... Nada...

O Clima Tempo muitas vezes informava no canal interativo: Cidade Tal (minha cidade) Probabilidade de chuva 80%, volume estimado 10 milímetros (já dá para molhar as plantas) no dia seguinte... Um sol do cacete!
E assim foi minha peregrinação pelas previsões do tempo: no Jornal da Band tem uma apresentadora com sotaque nordestino que parece que está falando com uma amiga sobre uma cantada que ela rejeitou numa balada; No SBT Brasil uma loura apresenta a previsão junto ao Carlos Nascimento e certa vez ela ridicularizou um alerta de furacão próximo a Santa Catarina dizendo que no máximo haveria um "furaquinho"; bom, no dia seguinte houve talvez a maior catástrofe climática do estado.

E, entre meus termômetros e as previsões quase astrológicas dos meios de comunicações e seus institutos associados eu cheguei a uma conclusão: É melhor olhar pela janela ou se tudo falhar, "Pergunte a Pedra" a Pedra sabe.


Um abraço! P.S. do dia 22 de Dezembro de 2009 até hoje 18/02/10 a maior temperatura aqui no meu termômetro foi de 38,4 Cº

domingo, 14 de fevereiro de 2010

Por que Jesus Cristo morreu na cruz? Certamente não foi para isso!

Por que Jesus Morreu na Cruz?

É claro que não foi para isso (veja o vídeo).

Agora, tente explicar a uma criança que esteja em um templo deste, que isso é uma aberração, que nada tem a ver com Cristo, religião ou qualquer outra coisa que não auto-promoção, vaidade, dinheiro e futilidade humana.

video

Este vídeo foi realizado em um congresso evangélico chamado: Conferência pela Paz em Favor da Vida.

Um abraço a todos e até a próxima postagem.

Jorge Costa