segunda-feira, 27 de abril de 2009

Oi, Telemar e a Telefonia no Rio de Janeiro e do Brasil

Oi, Telemar, Telerj, CTB - Telefonia na Cidade do Rio de Janeiro. (serve para outras Regiões do Brasil)

Você reclama (como eu) das condições da telefonia (incluindo a conexão de Internet ) no Rio de Janeiro?
A Telemar, hoje Oi é provavelmente a pior empresa de telefonia do Brasil, é a pior tecnicamente, é a pior em competência, de longe é a pior em atendimento aos usuários e no município do Rio de Janeiro é uma tragédia como provedor de conexão com a Internet seja ela discada, banda larga ou ISDN.
Os produtos da Oi/Telemar são da pior qualidade possível (quando não são obsoletos ao serem lançados no Brasil).

Até o Museu do Telephone (atual Espaço Oi\Telemar), que é responsabilidade da Oi\Telemar ficou fechado durante anos e anos por pura incompetência e descaso com o público por parte da direção da empresa.
Sempre foi assim?
De uma maneira geral sim. É o que eu costumo chamar de Síndrome de Ex-Capital da República e do Império Brasileiro.
Tem um monte de coisas estranhas que só acontecem no Rio de Janeiro em função da cidade ter sido capital do Império e depois da República.
Quer alguns exemplos?
O Observatório Nacional Brasileiro fica no Rio de Janeiro e não em Brasília.
O IRB (Instituto de Resseguros do Brasil) também fica por aqui.
Vários Ministérios ficaram durante anos no Rio de Janeiro sem mudarem-se para Brasília.
Não vou entrar em mais detalhes, quero escrever sobre a infame Oi\Telemar.
O início da Telefonia no Brasil (e no Rio de Janeiro) começa na verdade na Filadélfia - EUA.
Abaixo segue um pouco desta história extraída e adaptada ao blog do meu site Bairro do Catete (Museu do Telephone).
O Telefone (tele=distância e fone=falar), foi inventado como todos sabem por Alexander Graham Bell, e foi exposto em maio de 1876 na Exposição Internacional comemorativa ao Centenário da Independência Norte Americana que ocorreu na Filadélfia (EUA). Dom Pedro II estava por lá, e enquanto os outros ridicularizavam o invento, Dom Pedro foi visitar a Exposição, (ele já havia assistido a uma aula de Graham Bell para surdos-mudos), foi até a mesa onde estavam o professor e seu invento. Dom Pedro II começou a fazer perguntas sobre a novidade, assim ele conseguiu despertar interesse e aceitação para o aparelho. Os juízes da exposição (que ao final auferiam prêmios aos vencedores), começaram a se interessar. O Telefone foi examinado. Graham Bell estendeu um fio de um lado a outro da sala, e colocou Dom Pedro na extremidade onde ficava a parte receptora do aparelho e dirigiu-se ao transmissor, após um momento de total silêncio o Imperador do Brasil que tinha o receptor ao ouvido exclamou de repente: Meu Deus, isto fala! Ficou fascinado e encomendou alguns aparelhos para poder se comunicar entre as suas residências. Na Cidade de Petrópolis (Região Serrana do Estado do Rio de Janeiro) existe, um pouco antes de se chegar ao centro da cidade, uma ponte chamada de "Ponte Fones" este nome é em função de Dom Pedro ter mandado instalar ali uma caixa com um aparelho telefônico rudimentar. Portanto, o Brasil foi o primeiro país a utilizar a novidade, ou seja, temos muita história neste sentido...

Em 1881 foi Publicada a primeira lista telefônica no Rio de Janeiro, constando apenas números comerciais; aí a coisa começou a ficar mais séria. Então foi autorizado pelo império o funcionamento da Telephone Company of Brazil (Companhia Telefônica Brasileira ou CTB).Toda a tecnologia era estrangeira visando a atender ao governo (muitas vezes com a intenção de puxar o saco), aos comerciantes e mais tarde aos fazendeiros. Então mesmo continuando a CTB a funcionar normalmente foi tomada uma resolução imperial: ...As linhas telefônicas são consideradas em iguais condições às linhas telegráficas, pertencendo, como estas, ao domínio exclusivo do Estado, cabendo ao Governo Imperial o direito de as conceder, ainda que para uso particular.

Eu destaquei a frase acima para salientar a expressão CONCEDER; é isso aí, desde 1881 o serviço de telefonia é uma concessão do governo para a empresa que a administra e mais tarde foi definido que é utilidade pública para o cidadão.
Eu não sei qual a origem dos equipamentos instalados no Rio de Janeiro nesta época isto é importante como veremos mais tarde.

Já na república em 2 de Maio de 1890 ficam estabelecidas que as linhas telegráficas da República dos Estados Unidos do Brasil como propriedades da Federação e destinadas ao serviço da Administração Pública e dos particulares. Trocando em miúdos a república ratifica as decisões do ex-imperador.

Chegamos a 28 de Novembro de 1956 quando o Governo Nacionaliza a Sociedade Anônima Brazilian Telephone Company, sob a denominação de Companhia Telefônica Brasileira (CTB) ou seja ela torna-se em uma empresa Estatal do Governo Federal.

Agora começa o nosso verdadeiro tormento: a 20 de Fevereiro de 1976 a CTB passa a denominar-se Telecomunicações do Rio de Janeiro S/A - TELERJ.
Acho que qualquer um com mais de 50 anos deve lembrar a marca da maioria dos equipamentos de telefonia daquela época: Siemens!
Vamos dar uma olhadinha na história?
As informações abaixo foram extraídas do próprio site da Siemens em 28 de abril de 2009 ás 18:30h

1867 - A Siemens instala entre a residência do Imperador Dom Pedro II no Rio de Janeiro e a Cidade de Rio Grande (RS) a primeira grande linha TELEGRÁFICA do Brasil. (o grifo é meu, para não confundirmos Telegrafia com Telefonia)
Coloquei o tópico acima apenas para ilustrar a quanto tempo a Siemens está evolvida com as comunicações no Rio de Janeiro e no Brasil.

1895 - É fundada no Rio de Janeiro uma representação da Siemens & Halske. (Halske era o sobrenome do mecânico que trabalhava junto com Verner von Siemens e que depois virou seu sócio).

1899 - A Siemens Funda a Companhia Telefônica do Rio de Janeiro e instala o primeiro centro telefônico da então capital da República, para 8 mil linhas. Bingo! Aqui está a nossa conexão da Siemens com a atual Oi/Telemar.

1905: Fundação da Cia. Brasileira de Electricidade SIEMENS-SCHUCKERTWERKE no Rio de Janeiro: a primeira empresa eletrotécnica multinacional a estabelecer-se no Brasil. (este tópico foi extraído de outra parte do site da Siemens) para ler clique aqui.

1914 - Começa a Primeira Guerra Mundial. Proíbem-se as importações; fecham-se as filiais da Siemens, permanecendo apenas a central, no Rio de Janeiro.

Ops! O Brasil não declarou guerra a Alemanha?
Declarou!
E a Siemens continuou a funcionar normalmente no Brasil?
Continuou.
Não confiscaram seus bens?
Não.
Não parece a você que algo está cheirando a chucrute podre?
A Siemens no próprio site afirma que: Reduzem-se assim as atividades da Siemens Brasileira, e os clientes passam a receber suporte da Siemens argentina, espanhola e americana.

Logo depois o site da Siemens volta a falar de suas grandes realizações no Brasil (e no Rio de Janeiro também) mas passa batido pela Segunda Guerra Mundial!
O Brasil não declarou guerra a Alemanha na Segunda Guerra?
Declarou.
Deixa eu ver se eu entendi: O Brasil enviou soldados a Segunda Grande Guerra, matou um monte de italianos fascistas e um monte de soldados alemães nazistas e a Siemens alemã continuou operando normalmente no Brasil e na Capital da República?
É, foi.

Bom, na verdade procurando melhor em outra parte do site (para ler clique aqui) a Siemens declara o seguinte:
...No período pós-Segunda Guerra Mundial (1945), o Brasil foi a nação que mais recebeu investimentos da matriz alemã, pois se destacava especialmente pela criatividade de seus colaboradores e pela força que impulsionava o crescimento da empresa no país, com filiais sendo abertas em São Paulo, Porto Alegre, Belo Horizonte, Recife, Salvador e Curitiba.

Mas, péra aí! A Alemanha perdeu a guerra! Ela foi estraçalhada pelos aliados, seu parque industrial foi sucateado, não havia dinheiro nem para comprar comida (se existisse comida para comprar), a Alemanha foi dividida em duas: Oriental sob a influência da Ex-União Soviética e Ocidental sob domínio Norte Americano.
Alguém poderia me dizer de onde veio o capital da Siemens para investir no Brasil? De onde veio o dinheiro para abrir filiais em São Paulo, Porto Alegre, Belo Horizonte, Recife, Salvador e Curitiba?
E será que alguém pode definir quem foram estes "colaboradores cheios de criatividade"?

Em 1979, A divisão de telecomunicações públicas da Siemens é desmembrada; é fundada a Equitel - Equipamentos e Sistemas de Telecomunicações, para desenvolver, fabricar e comercializar equipamentos de telecomunicação e como prestadora de serviços técnicos; antes estas tarefas eram de responsabilidade da Siemens SA. Traduzindo: Mudara de nome mas as atividades e os clientes continuaram os mesmos, desta maneira dificulta a ligação do nome Siemens com a telefonia no Rio de Janeiro.

É bom ressaltar para os mais novos, que nesta época para você obter uma linha telefônica, havia uma espera de 2 a 5 anos, para se obter o tom de discar você tinha que ficar apertando aquele botão que fica por baixo do gancho, (hoje a maioria fica por baixo do fone) Ha! Detalhe, a 10 anos o homem já havia chegado a Lua, mas a TELERJ não conseguia manter uma ligação telefônica no ar por mais de 15 minutos e as tarifas eram as mais caras do Planeta.

Para tentar, eu disse tentar obter uma linha telefônica você tinha que pagar um carnê; é, é isso mesmo que você está lendo; um carnê igual ao do Baú da Felicidade do Silvio Santos. Só que estava mais para Golpe do Baú da Infelicidade pois na maioria das vezes você pagava o carnê todo e o telefone não era instalado "por impossibilidades técnicas". Mas não havia nenhuma impossibilidade para cobrar e receber o dinheiro do cidadão.
Telefonia Pública? Os orelhões como nós cariocas chamamos? É melhor nem tocar no assunto, qualquer um com menos de 30 anos vai me chamar de louco ou mentiroso.

As contas telefônicas eram absurdas constando sempre chamadas que não existiam e tempos de duração das chamadas impossíveis. Se você processasse a TELERJ, ganhando ou não, entrava em uma lista negra que faria com que não pudesse ter uma nova linha vinculada ao seu CPF.
As pessoas colecionavam e até investiam nos tais carnês, pois se um dia o bendito telefone fosse instalado, valeria uma fortuna e você venderia. Abrir uma pequena empresa e instalar um telefone? Muito difícil, só se você tivesse muita grana para comprar um telefone; e ainda havia o problema da disponibilidade da área, você podia ter o dinheiro, mas não havia linha disponível no seu bairro. Aí, já era; simplesmente você ou não abriria a sua empresa ou abriria sem telefone; bom, sempre haveria a possibilidade de alugar um de alguma empresa especializada nesta desgraça.

Assim que a TELERJ começou a fazer algumas reformas técnicas, como transformar antiquíssimas estações analógicas em digitais em alguns bairros do Rio, a Internet começou a fazer sentido para o Carioca e um dos sites mais acessados era justamente um site com denúncias contra a companhia.

Em meio a toda essa esculhambação que era a TELERJ, e os seus péssimos serviços prestado, ela investe milhões, milhões sabe em que?
Em telefonia celular!
Não sabiam nem mesmo emendar fios no meio da rua e foram se meter a entrar em um novo ramo de alta tecnologia.
E aí apareceu a TELERJ CELULAR, que hoje é a operadora VIVO!
Conclusão, saíram empinando antenas pra tudo quanto foi lado sem a menor competência técnica; se tornaram a maior operadora de celular da América do Sul, só tem um problema: É a tecnologia mais antiga do mundo; CDMA e TDMA.
Não se iluda com a propaganda GSM e 3G da Vivo, estas novas tecnologias só estão disponíveis em uma área diminuta da cobertura da Vivo. Para trocar estas antenas seriam necessários investimentos da ordem de grandeza da burrice deles, e olha que é uma burrice astronômica.

Pouco antes da privatização da TELERJ, o falecido Ministro das Comunicações Sérgio Motta, disse: ...A Telerj é uma droga, uma vergonha nacional, tem centrais com 80 anos de vida...

Bom, afinal foi feita a privatização em meio a escândalos, grampos telefônicos (não podia deixar de ser né?), espionagem, enfim safadeza atrás de safadeza com o público.

E ao invés de um grupo descente comprar aquela porcaria e moraliza-la; um bando de empresários de ramos os mais díspares possíveis compraram, não uma, mas sim 16 empresas de telefonia compraram a TELERJ, a TELEMIG, a TELEST, a TELERGIPE, a TELASA, a TELPE, a TELPA, a TELERN, a TELECEARÁ, a TELEPISA, a TELMA, a TELEPARÁ, a TELAMAZON, a TELEAMAPÁ, a TELEIMA e a TELEBAHIA, quanta alegria!

Se já seria difícil botar ordem em uma casa imagina em 16.

Mal começaram a modernizar as instalações de quase um século e se meteram a criar conexões com a Internet, deu tudo errado, foram processados por tantos consumidores, que já haviam advogados da nova TELEMAR dando plantões nos tribunais de pequenas causas, propondo acordos ridículos.

Ganhando ou perdendo você entrava em uma lista negra.

Nova tentativa: o Velox!

Bem, deixo para cada um de per si julgar.

Em agosto de 2006 foi criada no Orkut, uma comunidade virtual (eu prefiro chamar de página mesmo), com o título de, PODER NAZISTA. A página fazia elogios e apologia ao Nazismo e a Adolf Hitler além de ofender pessoas de cor negra etc...

Após investigações da policia e do Ministério Público Federal descobriu-se que a Comunidade foi criada no Orkut através de um computador da Telemar localizado na cidade de Varginha - MG; aquela mesma onde apareceu um ET. A Telemar (atual Oi) foi notificada judicialmente em sua sede que fica aqui no Rio de Janeiro (capital), para que cooperasse na investigação afim de descobrirem o funcionário ou os funcionários que criaram a comunidade. Assim como o ET, a Oi/Telemar ou Oi Fixo como agora ela prefere ser chamada ignorou a notificação judicial.

O juiz notificou mais uma vez, e... Nada! A Telemar simplesmente ignorou o pedido de sua excelência o juiz de direito.

O magistrado então repetiu a dose e mais uma vez a Oi\Telemar fez como seus telefones costumam ficar; mudos!

Um ano depois a Telemar resolveu responder ao juiz, dizendo apenas que seria impossível a identificação do funcionário nazista pois já havia passado muito tempo...

Eu às vezes fico sem palavras...

O Ministério Público, caracterizou o fato como falta de respeito com a justiça e segundo o Procurador da República Marcelo Ferreira: ..."A conduta da empresa gerou consequências que exigem a reparação do dano moral causado à coletividade. E isso pode ser visto sob três vertentes: a primeira, por ter permitido, sem qualquer fiscalização, que funcionário de seus quadros, lotado na unidade de Varginha/MG, utilizasse seus equipamentos e instalações para promover a disseminação do ódio racial pela Internet; em segundo lugar, porque, mesmo após o conhecimento do crime, a empresa se eximiu de identificar o funcionário responsável; por fim, ao deixar de cumprir as requisições judiciais para a identificação desse funcionário, a empresa foi responsável por causar a impossibilidade de punição do crime. Esses atos, e suas consequências, geram na coletividade a sensação de impunidade, de descrédito nas instituições que promovem a Justiça" . Para o procurador, o dano moral coletivo resultante da conduta da Telemar (Oi) atinge não somente as pessoas diretamente afetadas pelas mensagens racistas divulgadas por seu funcionário a partir dos computadores da empresa, mas também pelo sentimento gerado em cada cidadão de que, no país em que vive, as leis não são cumpridas..."

Sendo assim, o Ministério Público Federal (MPF) ajuizou ação civil pública pedindo a condenação da empresa Telemar Norte Leste S/A, ao pagamento de indenização no valor de R$ 50 milhões por danos morais coletivos.

Você acha que a Telemar vai pagar?

E quanto a Siemens, pensam que eu esqueci?

Nem de longe.

Se você reparar bem nos uniformes dos funcionários da Oi/Telemar verá que são da Siemens e os carros que eles dirigem, exibem o logotipo da Siemens e a frase: A Serviço da Oi/Telemar.

E se você usa um modem SpeedStream, está usando a tecnologia alemã; a mesma que ligou um cabo entre a Casa de Dom Pedro II e a Cidade de Rio Grande.

Até Breve.

11 comentários:

  1. Muito interessante toda a historia, talvez um dia realmente se consiga resolver esse nosso tormento de telefonia.
    Parabens pela abordagem do assunto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá,
      Obrigado pelos elogios.
      Será que um dia teremos uma telefonia de qualidade?
      Só tempo dirá
      Um Abraço

      Excluir
  2. Perfeito!! Uma bela explanação dos serviços de telecomunicação no Brasil. A Oi deixa a desejar, disso não tenho dúvida, apesar do meu velox ser bastante estável, e de eu ser proprietário de um chip 31 anos. Inclusive o utilizei em vários aparelhos celulares da Siemens (os meus preferidos até a extinção das suas operações móveis). Acho a Siemens uma impresa e tanto, a Oi também, em certos aspectos. Mas no entanto está tudo bem, tirando as primeiras duas semanas após a solicitação do velox, as quais, sinal que é bom nada, pois o incompetente do tecnico fez a instalação errada numa central telefônica da famigerada siemens aqui perto da minha casa (explicação de outro técnico que resolveu o problema do velox) sem contar também as horas a fio que esperei por atendimento via telefone para tentar sanar o problema. O Engraçado é que depois que tudo foi resolvido, de certa forma, fiquei listado negativamente no sistema da Oi, ao qual as atendentes veem a seguinte frase na tela do computador; 'Tratar cliente com bastante educação e paciência, pois o mesmo tem grande disposição a ficar irritado'. Porque será? Há! Deve ser pelos ataques de fúria que tive em várias ligações à central tentando fazer com que o sinal do velox chegasse à minha casa. Detalhe, vocês devem está se perguntando como eu soube da tal frase no sistema da Oi, a resposta é simples: quem tem amigos numa empresa de telecomunicações, tem tudo.

    ResponderExcluir
  3. Obrigado pelo oportuno comentário.

    Olha, eu penso que ninguém deveria ter que ter um amigo para ser bem atendido em uma empresa de concessão pública pois como o nome já diz é público, pertence a todos nós. todos devemos ser bem tratados e sem necessidade de amizades internas para saber o que se passa lá por dentro.
    Um abraço
    O Rescator
    Se você gosta de História visite o Site do Bairro do Catete www.bairrodocatete.com.br

    ResponderExcluir
  4. bom dia amigo

    me chamo Flavio e li o seu excelente artigo que fala a respeito da historia da telefonia no Rio de Janeiro e dos pessimos serviços prestados.

    tenho uma duvida e gotaria de saber se voce sabe algo a respeito e se pode me dar uma luz.....

    tentei pedir a instalacao do velox e a atendente me disse que eu nao poderia ter o serviço pois a linha era muito antiga e analogica, e que , assim, teria que pedir uma nova linha para instalar a velox.

    achei um absurdo o condicionamento de ter que pedir uma nova linha para ter o velox, ja que ja existe uma, e , salvo engano, ouvi dizer que a oi/telemar é que tinha que arcar com ocusto da conversao analogico digital, certo?

    desde ja

    muito obrigado

    se quiser usar esse email no seu blog, fique a vontade.


    --
    Paz & Amor

    Flavio

    ResponderExcluir
  5. Olá Flávio,
    A resposábilidade é toda da Oi/Telemar.
    Eles são obrigados a mudar as estações de analógico para digital.
    Corra atraz dos seus direitos.
    Paz!

    ResponderExcluir
  6. gostaria de saber os procedimento para descobrir se o meu nome estar na lista negra
    ou não

    ResponderExcluir
  7. Olá, para saber se você é uma pessoa não bem vinda na Oi/Telemar, basta contratar algum serviço como por exemplo pedir a instalação de uma linha telefônica com seu nome e CPF. Se você estiver na "lista Negra" não será instalado. A Oi/Telemar obviamente nega qualquer existência de lista negra ou coisa que o valha.
    Um abraço

    ResponderExcluir
  8. gotaria de saber se o meu nome estar lista negra da telemar

    ResponderExcluir
  9. Olá, para saber se você é uma pessoa não bem vinda na Oi/Telemar, basta contratar algum serviço como por exemplo pedir a instalação de uma linha telefônica com seu nome e CPF. Se você estiver na "lista Negra" não será instalado. A Oi/Telemar obviamente nega qualquer existência de lista negra ou coisa que o valha.
    Um abraço

    ResponderExcluir
  10. Mais um ótimo artigo Jorge Luiz.
    Vimos aqui que os problemas não mudaram
    ainda muito longe de uma melhoria significativa na prestação
    de serviço quanto no atendimento ao cliente.
    O homem pisou na lua, Michael Jackson morreu, e o serviço de
    telefonia no " Brazil " continua o mesmo..rs

    ( Julio Cesar / RJ )

    ResponderExcluir

Escreva seu comentário no espaço abaixo.
Obrigado.